Avaliação audiológica

A audição é fundamental e tem um papel extremamente importante na formação e desenvolvimento da comunicação de uma criança. É através dos ouvidos que ela vai adquirir a noção de sons e compreender a linguagem. E por estar muito ligada à fala, a audição é indispensável para a formação da habilidade de falar da criança.

A avaliação audiológica infantil geralmente é solicitada por pediatras, otorrinos e fonoaudiólogos quando a criança apresenta sintomas como: diminuição da audição, secreção, dor de ouvido ou atraso na linguagem. 

É composta por três exames capazes de identificar qual a intensidade sonora que a criança pode ouvir, detectando se ela escuta ou não, o quanto escuta e, em caso de perda auditiva, identificar o grau da alteração.

Audiometria tonal

O exame avalia a quantidade de audição do paciente, com apresentação estímulos de tons que variam entre as frequências de 250Hz a 8KHz. Para bebês ou crianças que ainda não falam, possível utilizar brinquedos e avaliar a reação do paciente ao som.

Audiometria vocal

Avalia a capacidade do paciente em identificar e diferenciar os sons da fala. Em crianças ainda pequenas, é possível checar a resposta quando são chamadas pelo nome ou trabalhar com perguntas lúdicas, como identificação de desenhos e formas.

Audiometria infantil condicionada

Criança entre os 2 e 6 anos, que permitem o uso de fones de ouvido, podem fazer a audiometria infantil condicionada. A criança fica em uma cabine acústica e, com a utilização dos fones, sempre que escuta um estímulo sonoro precisa realizar uma ação, como por exemplo colocar uma peça em um jogo.

Imitanciometria ou timpanometria

Avalia a pressão da orelha média e os reflexos estapedianos. É essencial para diagnósticos como da otite média e disfunção tubária. Também pode ser solicitado como exame pré-operatório com o objetivo de avaliar a necessidade de tubo de ventilação.